Loading

O que já saiu na mídia sobre o Programa Sindi-Clube Aprendiz

Matéria publicada no Jornal de Piracicaba.

Programa apresentado na Rede Globo sobre o Programa Sindi-Clube Aprendiz

Clique abaixo para assitir o video

Matéria publicada no Diário de São Paulo - Empregos em 01 de julho de 2007

Empregos

Matéria publicada no O Amarelinho em 16 de junho de 2007

O Amarelinho

Matéria publicada no Diário de São Paulo - Empregos em 01 de julho de 2007

Empregos

Matéria publicada no Jornal de Empregos e Estágios em 01 de junho de 2007

Jornal do Esporte

Matéria publicada no Estado de São Paulo em 27 de maio de 2007

Aprendiz

Matéria publicada no Jornal da Tarde em 05 de maio de 2007

Sindi Clube Jornada

Vídeo do Programa Aprendiz em Esporte

Clique abaixo para assitir o video

Matéria publicada no Diário do Comércio em 11 de janeiro de 2006

Idéia não é formar só esportistas

"Nossa preocupação é não apenas dar condições ao jovem de aprender uma profissão, mas também torná-lo um cidadão"

Criar um programa diferenciado para aprendizes que cumpra todos os requisitos legais e, ao mesmo tempo, avance na formação de jovens envolvidos e seja adequado para a atividade esportiva. Esta foi a preocupação do sindi-Clube ao elaborar este projeto.

O diretor-executivo do Sindi-Clube, Armando perez Maria, explica que para criar um programa específico a entidade procurou não apenas a Delegacia Regional do Trabalho (DRT) e o Ministério do Trabalho, como também entidades como o Sesi, Sesc e Senac para obter orientação. Descobriu que não havia cursos adequados à realidade dos clubes e partiu para a criação de um programa específico para atuar neste campo. Foi criado o cargo de orientador, que supervisiona o desenvolvimento das atividades dos instrutores que são encarregados de ensinar aos aprendizes dos clubes todo o conteúdo teórico e prático.

"Nosso programa foi homologado pelo Ministério do Trabalho, pelo Ministério Público do Trabalho e pelo Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), diz Perez Maria.

O diretor executivo da entidade ressalta a importância do trabalho de auditoria instalado desde o início das atividades do projeto que garante a adoção integral do programa nos clubes que estão aderindo a ele. "Nossa preocupação é não apenas dar condições ao jovem de aprender uma profissão, mas também torná-lo um cidadão."

Estímulos e ambição - O consultor do Sindi-Clube criador do projeto, Reginaldo Teixeira Rosa, reforça este objetivo ao arfimar que o programa utiliza o esporte para ensinar noções de autonomia nos jovens de acordo com regras ditadas pela ética. "Ele vai aprender que pode ter ambições maiores e que devem estudar não só para se tornar esportistas ou professores de educação física."

Para Sérgio Picasso, supervisor de programas e eventos esportivos do Clube Paineiras do Morumby, todos os envolvidos no projeto, instrutor e supervisores, acabaram tornando-se multiplicadores das informações que obtêm nos cursos e que são ministradas através da andragogia, que engloba técnicas específicas para ensinar adultos.

Perspectivas - Além de multiplicar o programa de aprendizes em outro clubes, o Sindi-Clube pretende, a médio prazo, formatar o projeto para clubes especializados em atividades culturais. (PC)

Meninos

Acima, os aprendizes Douglas de Lima Araújo Pereira (esq.) e Fábio Roberto da Silva que, além de aprender uma profissão, também estão transformando os voluntários (abaixo) do projeto, como Picasso, Teixeira Rosa e Fernanda, todos da "escola" instalada no Clube Paineiras.

Reginaldo

Reginaldo Teixeira Rosa,
consultor do Sindi-Clube
e criador do projeto.

Armando

Armando Perez Maria,
do Sindi-Clube.

Sergio

Sérgio Picasso, supervisor,
do programa e eventos
esportivos do Clube Paineiras.

Aliar formação esportiva, técnica e humana para transformar jovens carentes em cidadãos. Este é o diferencial oferecido pelo projeto para aprendizes que os Clubes de São Paulo elaboraram. Através do Sindicato dos Clubes do Estado de São Paulo (Sindi-Clube), meninos e meninas de 14 a 24 anos têm a oportunidade de, durante o período de dois anos, transformar suas vidas e se preparar tanto para a vida profissional quanto para a pessoal.

O programa de aprendizes formatado para os clubes paulistas, batizado Programa Menor Aprendiz em Esporte, foi elaborado em maio do ano passado pelo Sindi-Clibe, comptempla atividades teóricas e práticas em diversas áreas e está começando a ter a adesão de grandes clubes. Doze deles já encamparam o projeto oficialmente, beneficiando cerca de 200 jovens até agora.

Entre os adolescentes beneficiados está Fábio Roberto da Silva. O jovem de 16 anos, que já gostava de esportes antes de entrar para o programa dentro do Clube Paineiras do Morumby, afirma que teve sua vida transformada desde que aderiu ao projeto no ano passado.

Para ele, esta é uma oportunidade para concretizar seus planos de continuar estudandoe de fazer a faculdade de Educação Física.

Fábio conta que as atividades desenvolvidas pelo clube, como as aulas teóricas e práticas, e o contato direto com os frequentadores do espaço o estimularam a lutar para realizar o sonho de ser professor de educação física e atuar em clubes. E a rotina diária de ir para a escola e depois para o clube e desenvolver todas as tarefas, como acompanhar alguns sócios em atividades esportivas e assistir as aulas práticas, também o ajudaram a adquirir disciplina.

Ele conta, orgulhoso, que "antes de entrar no programa tinha que pedir dinheiro para a minha mãe e agora tenho o meu. Agora, vejo as atividades no clube e isso fez o desejo de ser professor de educação física aumentar".

No segundo ano do Ensino Médio, Fábio gosta de video-game, como todo jovem da sua idade, e de sair com os amigos. Segundoele, o relacionamento com a família também melhorou desde que entrou para o programa de aprendizes do Sindi-Clube. "Estou mais responsável e brinco menos."

Engenharia - Este é o sono profissional de Douglas de Lima Araújo Pereira. Aos 14 anos e há três meses no programa, ele já sabe o que quer para o seu futuro. Apesar de gostar de todos os esportes oferecidos pelo Paineiras e já conhecer bem as regras de tênis, o jovem aprendiz demonstra bastante segurança ao contar seus planos profissionais.

"Acho que agora sei o que quero. Estou mais responsável, acordo mais cedo e consigo fazer tudo o que a escola manda e as tarefas no clube", diz. Na oitava série do Ensino Fundamental, Douglas afirma que a família está contente com esse novo estilo de vida.

Influências - O programa de aprendizes ajudou a transformar outras pessoas no Clube Paineiras. Os funcionários que se envolveram com o projeto e que receberam os jovens desde o início das atividades dizem que também foram influenciados positivamente.

Este é o caso da assistente administrativa Adriana Rodrigues. Ela é voluntária e participa das aulas ensinando noções de administração aos jovens. "Comecei a conhecer também a vida dos meninos e meninas e passsamos a conversar sobre outros temas e também tem muito a oferecer, conta a voluntária.

Esta também é a opnião de Fernanda Kerber Nogueira Garcez. Analista de recursos humanos e orientadora do Projeto Aprendiz em Esporte, ela tem convivência diária com os jovens participantes. "Ajudei a elaborar as aulas e vejo o progresso deles", conclui.

Grupo1 Grupo2

Matéria publicada no Jornal da Tarde em 21 de novembro de 2005

JT Aprendiz

© Sindi Clube - Todos os Direitos Reservados